Amar também é dizer “não”

EM: 7 de maio de 2017

Esta cena eu presenciei num restaurante por quilo. A mãe com a menina no colo ia perguntando tudo a ela: Quer tomate? Quer cenoura? E que tal um pouquinho de arroz? Pelo menos um pouquinho de feijão, né meu amor? E todas as respostas eram “não”. Já na fila da balança, dei uma olhadinha no prato da menina e vi o resultado: metade do prato com batatas fritas, um pedacinho de frango grelhado e macarrão com molho quatro queijos. E só.

A menina deveria ter dois anos de idade. E do alto dessa grande experiência de vida e conhecimento sobre o benefício da pirâmide alimentar, ela decide o que vai comer. E já tinha muitos quilos acima do peso ideal pela quantidade de dobrinhas no pescocinho. Não devemos ser ditadores e carrascos em relação à comida, mas uma criança não tem sabedoria o suficiente para decidir o que vai comer, quando ou como. Nós pais precisamos ensinar. E isso significa suportar pequenas birras, mau-humor, cara fechada e alguns esporádicos “odeio você”.

Uma criança precisa experimentar o mesmo tipo de alimento no mínimo umas dez vezes para que seu paladar comece a aceitar a novidade e passar a gostar de saladas, verduras, diferentes tipos de cereais etc. É preciso insistir. Se os pais aceitarem o “não quero” de seus filhos, estarão contribuindo para a instalação de um comportamento alimentar equivocado cujas consequências afetarão a saúde da criança.

Portanto, amar de verdade significa dizer ao seu filho “Não! Quem faz seu prato sou eu. Quando você já souber comer de tudo, deixo você escolher de vez em quando”. E ponto final. No começo podem acontecer birras, reclamações e as famosas “caras amarradas”, mas depois que a criança descobrir que não tem negociação, ela para de reagir. Vai preferir um ou outro alimento e rejeitar outros, mas o equilíbrio entre os tipos de alimentos você vai garantir e a saúde de seu filho será preservada.

Esta foi a cena 1. Cada domingo veremos uma cena em que um princípio de educação de crianças será evidenciado. São situações reais que anoto em um arquivo especial em meu celular e que podem servir de disparadores de reflexões importantes para ajudar os pais na difícil e linda tarefa de criar filhos com sabedoria. Boa leitura e boas reflexões!

Tags

Categorias


Viverno digital

Loading...